Como funciona um tratamento para a dor?

dor e efeitosQuando aplicamos um tratamento, vários fatores justificam o alívio da dor, inclusive o efeito da técnica em si. O que as pesquisas fazem é tentar controlar o máximo deles, para que o efeito puro da técnica tenha a opção de aparecer. Muitas vezes a ciência dá um tiro no pé.

Segue abaixo alguns fatores inseridos e bem conhecidos em um tratamento:

  • Acaso – – representa 5 a 10%
  • Placebo – – 30 a 40%
  • Efeito da técnica em si – – 40 a 60%

Segue abaixo alguns fatores inseridos e frequentemente ignorados em um tratamento:

  • Expectativas e crenças positivas
  • Psicofisiológico
  • Empatia e confiança na relação terapeuta x paciente
  • História natural do problema

Se olharmos, por exemplo, para a dor lombar crônica, os melhores resultados de eficácia de um tratamento chegam no máximo a 40%. Isso quando olhamos para o efeito da técnica em si. Desta forma, o poder de efeito das técnicas não é tão grande assim como é vendido, certo?

Quando olhamos para a dor lombar aguda, na maioria dos casos, a história natural tem mais poder de efeito do que as técnicas analgésicas. Vários estudos mostram que o paciente melhora independente do que seja proposto para o controle da dor.

Não podemos ignorar os outros fatores que produzem alívio da dor e estão inseridos nos tratamentos. Eles também mexem nos neurotransmissores, nas susbatancias analgésicas e nas reações dos nossos sistemas. Mas, as quantidades de efeito podem mudar de acordo com cada contexto, uns mais outros menos.

E no estudo da dor, nada se cria, nada se perde, tudo se transforma. Cabe a você transformar em mais ou menos dor.

Artur Padão – Dorterapeuta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.