Tratamentos para a dor ao estilo “pulo do gato”

dor e gatoVocê está lá naquela rotina de sempre, atendendo um paciente com aquela velha dor nas costas de sempre, que vai e volta ao longo da semana. A rotina de atendimento de sempre é como dirigir um carro ou andar de bicicleta: vai no automático e você nem pensa nisso (é medular = #piadainternadolorosa).

Cansado de ouvir as mesmas queixas de sempre, você decide ver o que acontece quando usa um tratamento diferente. Sendo científico ou não, muitas vezes, você se arrisca e “pimba”…deu certo. O paciente melhora, acha o máximo e diz que foi um milagre. Esse é o tratamento ao estilo “pulo do gato”.

O gato e seus parentes são dos poucos animais que conseguem pular para trás e, com isso, dar uma de “escapista” e se dar bem.

Mas, na verdade, o que existe é um “pulo do gato” bem executado, mesmo que as vezes no chute. Não existe técnica milagrosa, existe escolha certa. Não é a mão que cura, mas sim a escolha por usar a mão. O placebo é um “pulo do gato”, mas que cansa rápido e dura pouco.

Quando olhamos puramente para a ciência, encontramos vários tratamentos para a dor que dizem oferecer o diferencial, um “pulo do gato” de respeito. Exercício, educação e terapia manual estão entre eles. Não é simplesmente oferecer exercícios, educação e terapia manual como o “pulo do gato”. Tem que saber escolher e o momento certo para funcionar.

Vários tratamentos para a dor tentam fazer o “gato pular”, mas nem todos fazem “o gato pular para trás”.

Sair da rotina aumentará a chance deste sucesso felino. Encontre seu “pulo do gato”! Exercício? Terapia manual? Cirurgia? Remédio? Psicologia? Encontre seu “pulo do gato”. Encontre aquele detalhe!

Artur Padão – Dorterapeuta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.