Um “detox” contra a dor

 

img_default_01Na onda da moda e mídia, as promessas envolvendo o detox são inúmeras, até cura de doenças ditas incuráveis. O termo “detox” é uma preguiçosa abreviação de “desintoxicação”, para facilitar a divulgação do nome e se comprar a idéia.

Muitos acreditam que a dor é uma forma tóxica ao corpo, como um mal a ser combatido ou um castigo divido a ser recebido. Isso é conversa pra boi dormir. Mas, depende do contexto que estamos olhando. Pra mim, o que é tóxico pode doer e não o oposto.

Vários tratamentos prometem um dotox para a dor, com cura milagrosa, solução de problemas crônicos, “mundos e fundos” para reduzir seu sofrimento doloroso. É assim mesmo que a “banda toca”, mas não é bem assim que funciona realmente.

Detox é mais um conceito e uma filosofia do que um suco verde. Tratamento para dor é um problemão pois existem vários que são ditos “eficazes”. Mas, a ciência dolorosa não perdoa. Nem o “gostoso” suco verde.

Pra que o fígado e o rim se existem os “alimentos” detox? Pra que procurar os profissionais de saúde se existe o dr. google? Lembre-se que o detox para a dor é vendido na banca de jornal e tem de graça na internet. Nem tudo que é bom pra um é bom pra outro. Quer se aventurar, por sua conta e risco.

Procurar hábitos e alimentos saudáveis, se exercitar regularmente, ser “positivo e operante”…isso sim é detox. E talvez, ter menos dor.

Artur Padão – Dorterapeuta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *