Síndrome da Sensibilidade Não-Celíaca ao Glúten: Dói!

dor e gluten1O tão falado glúten enfrenta o mais longo banco dos réus da história dolorosa dos alimentos. O problema não é mais o ovo, café, açúcar, gordura trans, mas sim o glúten. Existem 3 explicações científicas para o glúten provocar reações e nosso corpo:

1. Reações alérgicas (minutos a horas)

Pode levar ao choque anafilático e problemas respiratórios imediatos. Hospital quase garantido!

2. Reações autoimunes (semanas a anos)

Temos a famosa Doença Celíaca, onde existe uma intolerância ao glúten, afetando aproximadamente 1% da população mundial. Sintomas dolorosos no corpo podem estar presentes no abdômen e músculos dos corpo. Outras condições como ataxia ao glúten (acredite!) e dermatites ocorrem.

3. Formas imuno-mediadas (horas a dias)

Muitas pessoas que tinham alguma reação quando consumiam glúten não se encaixavam em reações alérgicas ou auto-imunes. Ocorre uma reação inflamatória no intestino, que pode sensibilizar e/ou inflamar os vizinhos. Por isso, nos últimos anos, utiliza-se a expressão Sensibilidade Não-Celíaca ao Glúten, que apresentam sintomas similares e dolorosos:

– dor abdominal (68%)

– dor de cabeça (35%)

– fadiga (33%)

– diarréia (33%)

– depressão (22%)

– dormência nas pernas, braços ou dedos (20%)

– dor articular (11%)

– cãimbras

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3820047/

Porque agora esse inimigo quase oculto está deixando muita gente com dor no corpo?

Na verdade, estudos tem mostrado que o glúten é apenas parte do problema em potencial.

Outras proteínas encontradas no trigo tem deixado os “ânimos bem inflamados”, como o ATI (inibidores de amilase-tripsina). Esse tal de ATI ajuda a proteger o trigo do ataque de pragas, o que explica seu aumento ao longo do tempo. Queremos deixar o trigo o mais protegido possível para que seu pão e cerveja lhe proporcionem experiências incríveis. O feitiço está virando contra o feiticeiro.

Os carboidratos do trigo também vem sendo alvo de críticas. Eles causam o famoso inchaço intestinal, que é nada mais nada menos do que gás no intestino ou flatulência ou ambiente intestinal confinado ou “p”.

Não podemos esquecer do aditivos como glutamato, benzoato, sulfatos e nitratos que dão sabor, cor, consistência e “alegria” aos alimentos. Muita gente reage mal a sua presença.

Enfim, ainda temos um longo e doloroso caminho para entender os efeitos inflamatórios que estes “nutrientes” causam, deixando o corpo dolorido, inflamado, irritado, sensível e potencialmente chiliquento. Mas, lembre-se que não é todo mundo que reage assim não. Pode ser hoje, amanhã ou nunca!

Abaixo a “dor de glúten”!

Artur Padão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *