Crônicas dolorosas 5: o maníaco do ultra som

dor e usNos bons tempos trabalhando no voleibol do botafogo, uma dúvida sempre pairava no ar: Como os meus colegas da fisioterapia esportiva trabalham? Aonde estão eles? Estas dúvidas só poderiam ser esclarecidas caindo na estrada…de ônibus e trem, claro.

E o vai e vem de clubes, ginásios, escolas foi intenso. Até que um dia, pude conhecer o grupo de uma equipe profissional de vôlei aqui no estado do rio de janeiro. E, seu fisioterapeuta, era bastante conhecido entre atletas e comissão técnica.

Eu, com minha inocência e ainda acreditando nas pessoas, me interessei em conhecê-lo. Tem mais experiência que eu e quem sabe poderíamos trabalhar juntos.  Porém, um fato inusitado me chamou a atenção. Todos, mas todos diziam que apenas um tipo de tratamento era aplicado, para todas as dores e disfunções: o ultra som. Por isso, recebeu da comissão técnica e dos atletas o carinhoso apelido de “Maníaco do Ultra Som” (MUS). Todos sabiam, menos o fisioterapeuta.

Reza a lenda o MUS carregava o seu ultra som na bolsa e na primeira oportunidade, sacava o cabeçote como uma arma, carregava no gel e botava pra quebrar. Torção, fratura, estiramento, pontos de dor, tudo era tratado com ultra som. Aparelho regulado? Quem se importa?

Ainda existem vários MUS por ai, espalhados pelo convênio e nos atendimentos privados. A título de curiosidade, a maioria dos aparelhos de ultra som do mercado são de péssima qualidade, desregulados, imprecisos e fazem o paciente perder seu tempo e dinheiro.

Atenção, temos vários maníacos por técnicas: MUS, MKT, MA, MM, MTENS, MCRIOTENS, MAINH, MC…Procede?

Artur Padão – MD – Maníaco por Dorterapeuta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *