RISCO DE LESÕES DOLOROSAS: “JÁ CHEGOU O DISCO VOADOR”

Muito se estuda sobre as ameaças que podem nos machucar e sobre aquelas que realmente nos machucam, e as vezes causam dor. Nosso sistema detecta as ameaças aos nervos, juntas, vísceras e músculos (nocicepção), está sempre de olho para o que possa acontecer. Ao menor sinal de risco, mensagens de alerta são enviados ao nosso sistema de comando central para decidir rapidamente o que fazer.

Toda vez que existe uma ameaça em potencial, a nocicepção grita “já chegou o disco voador”. Para quem curte o “Chaves”, essa era a clássica expressão para avisar a todos ao redor, especialmente ao “Seu Madruga”, que a cobrança do aluguel de seu apartamento estava por vir.  Cobrar o aluguel era uma ameaça, pois ele não tinha dinheiro e o risco de perder seu apartamento era real e imediato. O “Seu Barriga”, dono da ameaça em potencial, na maioria das vezes chegava junto e ameaçava mesmo. Outras vezes oferecia pouco risco, ou seja, esquecia de cobrar o aluguel.

O riscos de lesão ocorrem regularmente em nosso dia a dia. Não necessariamente a lesão em si irá ocorrer, mas o risco faz com que nosso sistema ligue o alerta de ameaça para nos proteger e talvez produza dor. Essa é uma resposta natural. Graças aos anos de “Chaves”, podemos nos adaptar as ameaças e seguir em frente sem que isso seja doloroso ou problemático depois. Quem julga o que é o não é risco / ameaça é nosso sistema nervoso, pois agimos instintivamente antes mesmo de pensar no que fazer.

O disco voador chega junto todos os dias para quem mora no conturbado e belo Rio de janeiro. No ambiente, no ônibus, na rua, no bar, no trabalho, em casa e na hora de pensar em dor. O “Seu Barriga” está sempre de olho!

Artur Padão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *