QUANTAS SESSÕES, DOUTOR?

A duração de um tratamento para a dor não é tão simples de definir. “A regra não é clara”. Determinar o número de sessões depende de uma série de fatores, que muitas vezes acaba no pacote clássico e mitológico de 10 sessões.

Estimar este tempo é, na maioria das vezes, um chute, prevalecendo o mito de 10 sessões. Então, o que fazer?

Boa parte dos estudos com dor lombar, por exemplo, estima o tratamento em curto e longo prazo. Posso pensar que o curto prazo leva até 6 semanas de tratamento e acima disso teremos o longo prazo. Isso é extremamente variável, não há uma receita clássica de bolo. Mas, ter números facilita a proposta.

Ok, e ai? “Quantas sessões?”

Toda vez que me fazem essa pergunta eu respondo na lata: “são 6 semanas de tratamento, 1 a 2 vezes por semana e depois reavaliamos tudo”. Mas, só isso? Talvez sim, talvez não. Em boa parte das vezes, um maior tempo de tratamento será necessário. É muito importante se observar o efeito do tratamento ao longo do tempo. E, as vezes, não melhorar e não piorar é uma boa pedida. Eu sempre prefiro definir pelo tempo usando “semanas” e não sessões.

Não existe tratamento sem metas, ou seja, sem saber aonde ambos querem chegar, com prazo de validade e pés no chão. Caso não exista meta, não se pode prever o futuro efeito do tratamento. Isso é uma falha frequente, que muitas vezes cursa com abandono do tratamento. Furada!

Show! “Quantas sessões?”

Número mágico? Quando usamos sessões, dificultamos a prescrição que qualquer terapia, seja medicação, meio físico, acupuntura, exercício ou por injeção. Use semanas ou meses. É mais fácil. Não existe prescrição de fisioterapia, pois fisioterapia não é tratamento.

Cura mágica em uma sessão ou tratamento? Tá bom né!?

Longe das 10 sessões, por favor.

Artur Padão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.