Microfisioterapia e dor: Será? (parte 1)

dor e microConhecida como técnica que estimula a auto cura, a microfisioterapia ganha cada vez mais espaço na boca fisioterapêutica e cada vez menos espaço na ciência. A microfisioterapia usa um embasamento da embriologia, filogênese e ontogênese para explicar os motivos de fazer um simples toque na pele e provocar reações de equilíbrio e manutenção da saúde.

O toque é sim uma grande ferramenta de alivio da dor, que causa proximidade e possibilidades infinitas. O toque afetivo, de 1 a 10cm por segundo, já foi testado e aprovado pela ciência: causa conforto, alivio e sensação prazeirosa. Nunca li estudos sobre o toque na pele previnir doenças, curar doenças ou qualquer coisa do tipo. Talvez seja uma limitação minha.

Toda a técnica que oferece tratamento e cura para tudo vai sempre ser vista com maus olhos pela ciência. E a ciência não perdoa. Isso me parece até os tratamentos oferecidos para a dor lombar, que vão de massagem, roupas especiais, chás, ervas, até cirurgias mediúnicas.

A microfisioterapia busca um espaço na saúde brasileira oferecendo mundos e fundos aos pacientes, com uma base metodológica interessante, mas que se “afirma” com palpação na pele. Um mesmo tratamento não trata tudo.

E o termo microfisioterapia? Fisioterapia microscópica? Isso não é fisioterapia, muito menos representa o fisioterapeuta. Eu sou a minha própria técnica? Isso é papo de guru.

Portanto, a microfisioterapia é uma opção de tratamento para a dor sem recomendação por diretrizes em nenhuma condição dolorosa já descrita, mesmo sendo oferecida para a “fibromialgia”. Se não foi testada pela ciência, não sabemos se é ou não superior a outros tratamentos, se tem o efeito parecido com o placebo.

Mesmo assim, continuará sendo utilizada por muitos e se, um dia os adoradores da microfisioterapia quiserem testar suas hipóteses com a ciência, cuidado. Lembra o que aconteceu com o kinesiotaping né? Botou a cara na frente e levou um na lata.

Para quem ama, adora, vibra, desculpe. Microfisioterapia não é fisioterapia.

Fisioterapia não é aplicação de técnica. Quando escovamos o dentes, estamos fazendo odontologia? Quando tomamos um remédio, estamos fazendo medicina? Quando comemos pão sem glúten, estamos fazendo nutrição? Quando limpamos uma ferida, estamos fazendo enfermagem? Quando caminhamos na praia, estamos fazendo educação física? Quando olhamos as plantas, estamos fazendo biologia? Quando olhamos os animais, estamos fazendo veterinária? Então, quando coloco gelo ou uso microfisioterapia não estou fazendo fisioterapia. Dolorosa realidade!

Artur Padão

5 comentários sobre “Microfisioterapia e dor: Será? (parte 1)

  1. Carro colega é uma pena sua visão estreita com relação à Microfisioterapia. Primeiro por que toda técnica tem suas limitações e em nenhum momento nos profissionais FISIOTERAPEUTAS QUE USAMOS COMO FERRAMENTA DE TRATAMENTO A TÉCNICA DA MICROFISIOTEPAIA falamos ser a única para tratar. A grande verdade é que muitos paciente que chegam a nós , vem depois de terem passado por muitos profissionais da saúde e não terem resultados. Nos procuram com a última opção.Agradeço muito que a MICROFISIOTERAPIA seja NOSSA! E com muito orgulho. Trabalhamos com consciência e respeito é muito estudo. O Ministério de Saúde da França a reconhece como técnica da fisioterapia. Existe para seu conhecimento inúmeros trabalhos científicos no site Francês e para sua informação ,o um dos primeiros é a comprovação da micro palpação . No Brasil temos vários profissionais com trabalhos científicos apresentados no último Congresso Internacional que aconteceu no Brasil em Novembro de 2014.
    Acredito que jamais se deve falar de uma técnica sem antes conhecê-la! Existe há 30 anos na Europa e com muita seriedade e estudos na Bélgica, Alemanha, França. As pesquisas nunca deixaram de existir e a Academia Francesa de Medicina reconheceu a Microfisioterapia , não pelos estudos científicos não meu colega e sim pelo resultados com os pacientes tratados pela Microfisioterapia. Precisamos dentro da nossa profissão valorizar aqueles que procuram o diferente. Está no Brasil há 10 anos e fui da primeira turma e te informo que a cada dia me encanto com os resultados. Claro que tenho outras técnicos , quando a Micro não é suficiente é preciso ter outros recursos. O importante é promover o bem estar e esperança . MAS você fez uma comparação infeliz . Se eu aplico um aparelho para dor como Ondas curtas, não estou fazendo fisioterapia? Se faço uma manipulação articular ou uma estimulação em uma criança ou um exercício postural não estou fazendo fisioterapia? Se massagem não é um recurso terapêutico eu acredito que em 33 anos de profissão ainda não descobri o que é a fisiotepia. Me parece que você precisa conhecer um pouco mais ,antes de destruir com palavras e conclusões individuais um trabalho é uma pesquisa de pessoas que deram suas vidas a pesquisas e vieram ao Brasil porque nós pedimos. Temos que aprender a respeitar, ajudar a crescer nossa profissão e não destruí-la com comentário infeliz! Deixo meus pêsames pela suas conclusões e minha tristeza que tenha vindo da nossa classe. NÃO JULGUE! Se tem dúvidas procure as pessoas responsáveis pela técnica no Brasil que terá todas as informações que necessita! Me desculpe… Mas me parece uma pessoa estudiosa, mas que me decepcionou ! QUE PENA!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.