Gentileza gera gentileza! Dor gera dor!

A primeira vista, dor é apenas um sintoma. Dor deveria ser apenas isso, mas não é em todo mundo. A medida que a dor persiste, o sistema nervoso perde sua sutileza em organizar a casa neuronal, deixando a clássica bagunça “após levantar da cama de manhã”.

Sentir dor regulamente faz a dor persistir regulamente. A proeza do próprio sistema em reduzir a dor se torna uma tentativa pouco gentil dos neurônios em ajudar a ter um sistema mais feliz e menos nervoso. Dor gera dor!

Se dizem que gentileza gera gentileza, isso fica para a época do profeta gentileza. Ele pregava que tudo seria destruído no mundo capitalista, mas ao mesmo tempo acreditava que a gentileza era o remédio para todos os males. A dor é um dos males do século, que perturba a vida das pessoas, reduzindo a “gentileza do sistema nervoso” em ajudar ele mesmo. Vamos então praticar uma “ajudinha dos universitários” de forma gentil e acalmar os nervos.

Gentileza gera gentileza com níveis diferentes de gentileza, mas não necessariamente a sua gentileza será a gentileza do próximo. Dor gera dor com níveis diferentes de dor, mas não necessariamente sua dor será a dor do próximo. Existe uma certa empatia entre gentileza e dor, mas sua gentileza irá garantir mais gentileza. E sua dor irá garantir apenas mais dor.

Pratique a “gentileza do sistema nervoso” e tenha menos dor. Pratique a dor regularmente e você terá um sistema bem nervoso e dolorido, pouco gentil, chiliquento, irritado, amedrontado e infernal.

Gentileza gera mais gentileza! Dor gera mais dor!

Artur Padão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.