Avaliando a sensibilização central

dor sensivel hUma das grandes responsáveis pela cronificação da dor e pela persistência de mecanismos centrais é amiga e parceira sensibilização central.

A IASP define sensibilização central como “aumento da capacidade de resposta dos neurônios nociceptivos do sistema nervoso central a entrada de estímulos aferentes normais ou supraliminares”…ok…WTF?????

Neurofisiologicamente falando, significa que os neurônios ficam mais reativos e sensíveis aos estímulos que chegam, tipo pronto para reagir no que der e vier. Facilmente falando, o sistema nervoso aumenta seu alerta para qualquer ameaça e, mesmo ameaças mínimas produzem respostas rápidas e geralmente aumentadas. Ridiculamente falando, um “chilique” pode acontecer a qualquer momento!

Para avaliar se o paciente tem ou não tem sensibilização central, devemos ficar atentos a história da dor, a forma como o paciente descreve os sintomas e durante o exame físico. Vamos a LISTA (você está disponível hoje?)

-> dores que espalham ou migram de uma região para outra

-> dor que piora sem ter feito nada

-> dor em todo o corpo

-> dor que surge ou piora após eventos emocionais ou estresse

-> desconforto abdominal

-> coceira, pele seca e rachaduras

-> sentir-se triste ou deprimido / ansioso e ataques de pânico

-> queimação ao urinar

-> cansaço ao acordar e sem energia

-> músculos rígidos e doloridos

-> dentes apertados

-> diarréia ou constipação

-> piora da dor ao uso de medicações

-> sensação de cansaço durante atividades diárias

-> tensão muscular em diversas regiões

-> sensação de inchaço do corpo

-> hipersensibilidade excessiva a luz, barulho, cheiro e alimentos

-> intolerância ao movimento / atividade / exercício

-> todos os movimentos são dolorosos (sem inflamação local)

-> medo de se movimentar / cinesiofobia

-> movimento lento, proteção excessiva

-> sensibilidade excessiva ao toque ou pressão na pele

Para o exame físico, realizar a avaliação em locais remotos do local sintomático do limiar de dor:

-> pressão

-> sensibilidade ao toque por pressão manual

-> sensibilidade a vibração

-> sensibilidade ao calor e frio

-> avaliação do limiar de dor a pressão durante e após exercícios físicos

-> avaliação da sensação final articular

-> teste neurodinâmico provocativo do plexo braquial

Fica aqui um abraço doloroso e sensibilizado, especialmente aos Curtidores sintomáticos e assintomáticos!

– Butler D, Moseley L. Explain pain, 1st ed. Adelaide: Noigroup Publications; 2003. p. 27-93

– Gosling AP, Chagas CD, Périssé F. Neurofisiologia da dor. Profisio Esportiva e Traumatoortopédica 2012;1(57):57-112.

– Mayer TG, Neblett R, Cohen H, Howard KJ, Choi YH, Williams MJ, Perez Y, Gatchel RJ. The development and psychometric validation of the central sensitisation inventory (csi). Pain Pract 2012;12(4):276-285.

– Nijs J, van Houdenhove B, Oostendrop RAB. Recognition of central sensitization in patientes with musculoskeletal pain: application of pain neurophysiology in manual therapy practice. Man Ther 2010;15:135-141.

– Gosling AP, Suassuna PD, Nascimento LP – Fisioterapia no Manejo da Dor. Profisio Neurofuncional – submetido.

Artur Padão – Dorterapeuta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *