As duas faces da dor crônica

duas faces e dorQuando uma pessoa queixa-se de dor a muito tempo, e ainda por cima é reclamona, ganha logo o título de dor crônica. Justo! Ter dor entre 3 a 6 meses, faz com que uma pessoa “tenha dor crônica”, de acordo com o tempo de duração da dor. É bem verdade que esta definição temporal é utilizada o tempo todo, mas não necessariamente condiz com a nossa realidade.

Ter dor crônica de acordo com o tempo de duração é diferente de ser um paciente com o perfil de dor crônica. O tempo é tudo o que somos, não é verdade? 

Uma “face ou cara da dor crônica” é desvendada quando uma pessoa apresenta algumas características em comum:

– múltiplas queixas (poliqueixoso) – – além da dor, outras queixas se misturam como o cansaço, limitações, sofrimento, desconforto abdominal, tristeza, e por ai vai.

– incapacidades – – as limitações impostas pela dor levam a incapacidades as vezes extremas. Porém, é muito comum observar que o relato de incapacidade é desproporcional a realidade.

– insatisfações – – nada é suficiente para amenizar a dor ou resolver os problemas, inclusive a falta de consenso “diagnóstico” sobre o problema.

– comportamento doloroso – – atitudes, gestos, posturas, movimentos, expressões faciais e verbalização exagerada da dor.

– emoções a flor da pele – – depressão e ansiedade são muito comuns, que se misturam a uma série de problemas pessoais da vida.

– sofrimento excessivo – – parece que a dor gera um sofrimento tamanho, sendo a culpada por todos os problemas da vida.

A outra “face ou cara da dor crônica” se refere a quem tem dor a muito tempo, mas não apresenta um perfil de dor crônica. Eu acho que a maioria das pessoas com dor a muito tempo se encaixam ai. E, por muitas vezes, são tachados de “doentes com dor crônica”. Isso é falta de atenção profissional, né?

Por isso, é muito importante parar um tempinho para escutar o paciente que se queixa de dor, para definirmos em que pé está.

É isso ai. As duas faces da dor acontecem!

Artur Padão – Dorterapeuta

Um comentário sobre “As duas faces da dor crônica

  1. Eu tenho dores na lombar,na parte de tras das pernas,arde como fogo e desce para os pés em forma de formigamento.Não consigo dormir de barriga p/cima.Só consigo dormir com o travesseiro de corpo,de um lado ou de outro.Essa dor já dura há mais de 3 anos.Já fiz todas as tomografias de coluna,apesar de ter umas lesões,que o medico diz que é normal,devido a minha idade,44anos,o médico disse que não causaria essas dores.De onde elas vem então?

    1. Olá Debora. Sentir dor não necessariamente tem uma relação direta com lesões no corpo. Muitas vezes, nosso sistema nervoso fica sensível demais e começa a disparar dor em excesso, na tentativa de nos proteger. Podemos ter problemas no corpo, mas não é nada normal sentir dor o tempo todo. Abraço. Dorterapeuta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.