A história da dor lombar

Toda dor lombar tem uma detalhada história de acontecimentos ao longo do tempo. E ao longo das décadas em que vivemos, os relatos de dor lombar sempre permearam a vida das pessoas. Se a gente olhar para trás, veremos que esta história tem uma ligação mais ou menos direta sobre a evolução do mundo e do próprio ser humano.

Dor lombar sempre foi um problema. Mas, hoje é um baita problema, talvez maior do que antes e com muito mais importância do que antes. O passado não condena a dor lombar, condena muito mais o que se pensava sobre dor lombar. Na época da revolução industrial, por exemplo, dor lombar era consequência do trabalho pesado, do uso excessivo do corpo durante o desenvolvimento econômico de muitos países. Hoje não é.

O que é dor lombar hoje não era a dor lombar de ontem e não será a dor lombar do futuro. Porque tudo muda ao longo do tempo e, em cada tempo que vivemos, entendemos as coisas de forma diferente! Por mais que hoje entendemos que emoções e comportamentos seja provoquem ou perpetuem a dor, amanhã será tudo diferente. Como sempre foi!

Ontem era falta de alongamento, hoje é a emoção!

Ontem era a falta de core abdominal, hoje é a crença!

Ontem era a vértebra desalinhada, hoje é a energia ruim!

Ontem era culpa do médico, hoje é do paciente!

Ontem era o ovo, hoje é o glúten!

Ontem a dor era problema de coluna, hoje é do cérebro!

E assim a dor lombar segue seu caminho, atrapalhando a vida de muitas pessoas. Na era moderna, a medicina de uma forma geral não teve o sucesso esperado. Pode até ser que no consultório privado, você tenha quase 100% de sucesso. Mas, a grande massa de profissionais não chegou a 40% disso.

Nas últimas décadas, cabia ao médico controlar a dor lombar. E isso não ocorreu. Depois vieram os fisioterapeutas, que assumiram com força essa responsabilidade, especialmente a partir dos anos 90. E também não conseguiram controlar as incapacidades funcionais e a dor lombar de uma forma geral. E estamos no momento da educação física, que planeja programas de exercício físico como nenhuma outra profissão faz. E isso vai falhar no futuro. E depois do futuro? Vai sobrar para as mídias sociais decidirem o futuro da dor lombar.

Como em qualquer história, tem começo, meio e fim. Só que na dor lombar, o fim é sempre o começo de uma nova história.

Artur Padão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *