A dor por eventos traumaticos-emocionais

dor e emocoes fEm 27 de janeiro de 2013, ocorreu uma grande tragédia para a população da cidade de Santa Maria no Sul do Brasil. O incêndio na boate Kiss causou a morte de mais de 250 pessoas e deixou consequências bio psico sociais devastadoras.

Para entender os motivos da dor em eventos como esse, devemos ultrapassar nossas barreiras musculares e articulares. O sentimento é de uma ferida sem lesão a nossa vista (…ou descrita em termos de tal lesão…). Alguns mais religiosos buscam na fé e na alma possíveis explicações para amenizar parte do sofrimento doloroso.

Apesar de existir para muitos uma “dor da alma”, a manifestação dolorosa após eventos desse porte é totalmente real. Dói sim e isso passa longe do modelo biomédico, ou seja, as explicações físicas não justificam e não interessam.

Quando uma pessoa queixa-se de dor após um evento de “fortes emoções”, dizemos em termos neurofisiologicos que existem mecanismos cognitivo afetivos envolvidos no processamento da dor. Isso significa que a assinatura neuronal (neurotag – pular amarelinha, atravessar a rua) das áreas cerebrais que processam as emoções está frente de todas. Por isso, emoções sim produzem dor.

Toda lesão é trauma físico e emocional. Para alguns é mais físico, para outros é mais emocional. Cada um tem seu tempo para lidar com isso e quem não tem ferramentas próprias para tal, precisa sim de ajuda para recarregar as baterias e botar o carro para andar novamente.

O que o incêndio na boate Kiss deixa de aprendizado é o mesmo que a dor. Quanto mais a gente cuidar da nossa segurança, da nossa cabeça, quanto melhor lidarmos com situações que nos desequilibram, mais fácil é para virar a página.

Uma situação dessas mantém você em alerta, sensibilizado para o que der e vier, e a dor não melhora até que o “problema seja resolvido”. Mas, esse é um problema que não existe uma solução mágica, que é voltar atrás e fazer tudo diferente. Então a dor pode não melhorar? Sim, pode ficar por ai. Essa não é uma dor simples. Por isso, muitas vezes o sofrimento por algo é chamado de dor. Por isso, tratamentos para a dor não funcionam se a gente deixar tudo isso passar.

Aos Curtidores – – Vida longa e próspera!

Artur Padão – Dorterapeuta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.