A cefaléia junina

dor e enxUm dos momentos mais gastronômicos intensos no Brasil é a época das festas juninas / julinas / agostinas. Os fins de semana parecem não ter fim, com tudo quanto é tipo de comida caseira a base de milho, leite, açúcar e vários outros ingredientes. Eu adoro bolo de aipim (meu favorito), por sinal.

Apesar da fartura, forró, barraca do beijo e “fogueira”, talvez seja uma época perfeita para a clássica dor de cabeça provocada por alimentos. Muitos não sabem, mas é comum pessoas com enxaqueca regular iniciarem uma crise de dor ao consumirem determinados alimentos.

Em 1979 (eu nem era nascido), o Jornal Lancet publicou um trabalho muito interessante sobre alergias alimentares e enxaqueca. Foi encontrado que em 60 pacientes com enxaqueca, boa parte deles tinham alergias a trigo (78%), ovos (45%), chocolate e leite (37% cada), carne (35%), milho, cana de açúcar e fermento (33%). Quando esses pacientes deixaram de usar esses alimentos por 5 dias seguidos, 85% não tiveram dor de cabeça.

http://www.thelancet.com/journals/lancet/article/PIIS0140-6736(79)91735-5/abstract

Bom, se o pessoal do Lancet curte ou não festa junina, eu não sei. Mas, aqui no Brasil a gente curte muito. Não é a toa que o Brasil tem uma alta prevalência de pessoas com enxaqueca. Talvez o consumo excessivo destes alimentos contribua para deixar o sistema nervoso mais nervoso do que o de costume, reduzindo a capacidade de tolerar estes alimentos e mantendo a dor.

Vai pro arraiá? Então prepare seu estômago, burle a enxaqueca e caia na quadrilha. Mas, tome cuidado com os alimentos. Você não vai deixar o correio do amor na mão. Sem ele, qual o sentido da barraca do beijo?

Lembre-se que no Brasil, se consome cerveja de milho, hein? Arrrrghhhh!

Adoramos comer comida de festa junina. Odiamos ter enxaqueca.

Artur Padão – Dorterapeuta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.